Cinco jardins para aproveitar o bom tempo

Jul 8, 2019

Feriados, fins de semana prolongados, férias. São a tríade perfeita para um verão longo e proveitoso. A lista é simples: calçado confortável, protetor solar, combustível no carro e depois… é só sair.

A praia é o destino mais óbvio para esta época do ano, mas dias mais ventosos ou de calor demasiado intenso pedem alternativas para que a família desfrute dos dias com conforto. O tempo e a disposição não pedem sítios fechados – ainda que um museu seja sempre uma boa ideia – e nem sempre há alternativas. Porque não planear um dia num jardim? As vantagens são inequívocas: há sombra e sol, para poderem ir alternando, há espaços para correr, brincar, para se deitarem e até para petiscarem num piquenique! Alguns jardins têm o bónus de pequenas exposições com que também se podem entreter. Juntem a família, façam do som dos pássaros banda sonora, respirem ar puro e aproveitem os espaços verdes espalhados pelo país.

01

A norte, na vila mais antiga de Portugal, realiza-se um festival peculiar de inspiração francesa. Este ano, sob o mote “Jardins do Fim do Mundo”, Ponte de Lima volta a receber o festival no qual criações contemporâneas ganham vida através de plantas e flores.

Até ao final de outubro, o Festival Internacional de Jardins receberá 11 criações de vários países, incluindo Portugal, que se juntarão ao “jardim de microclimas” vencedor holandês da edição de 2018. Vale a pena rumar ao Minho, ponto de partida para outras visões internacionais do “fim do mundo”.

02

Com 18 hectares, espelhos de água, alamedas inteiras de árvores, esculturas e muito espaço para descansar, o parque de Serralves é o refúgio da Invicta que toda a gente precisa de experimentar.

A somar, o museu de Serralves tem constantes exposições de relevo internacional. A Joana Vasconcelos, artista plástica portuguesa conceituada além-fronteiras, segue-se a exposição de Joan Jonas, uma artista multifacetada que trabalha, ao longo da sua carreira, vídeo, texto,  desenho, instalação, som e performance.

03

Em pleno coração da capital há um jardim que faz as delícias nos dias de calor. Com espaço para merendas, relva e passeios, é a escolha óbvia para os moradores das redondezas, mas passa despercebido a visitantes. Talvez porque, quando por ele passam, têm como destino o miradouro de Nossa Senhora do Monte, onde se espera uma vista soberba da cidade.

Vale a pena fazer uma pausa a meio do caminho ou definir o jardim como destino final, onde poderão desfrutar de momentos de paz e divertimento sem ter de sair do centro em que tudo acontece.

04

Sintra é soberbamente conhecido pela riqueza de parques e monumentos, onde a natureza se funde com a arquitetura de forma quase romântica. A imagem de postal do Palácio da Pena leva milhares de visitantes todos os anos à vila e o poço icónico da Quinta da Regaleira leva-os a uma visita que preenche um dia.

Menos conhecido, mas com encantos e segredos que vale a pena descobrir, o parque de Monserrate tem espécies vegetativas dos quatro cantos do mundo, distribuídas por secção geográfica, e tem ainda um vasto jardim verde, convidativo a uma pausa para relaxar. O palácio, ex-líbris do parque, merece também uma visita, com uma mistura de inspiração gótica com indiana que encanta quem o visita.

05

Se uma viagem aos Açores está no horizonte mas não há, ainda, um roteiro fechado, este parque na ilha de São Miguel tem de fazer parte da lista. Motivos para visitar a ilha não faltam: a lagoa e a Caldeira das Furnas, a lagoa das Sete Cidades, o farol do Arnel…

Mas, diz quem por lá passa, o parque Terra Nostra tem encantos escondidos e é imperdível para quem visita São Miguel. Os jardins incluem fauna proveniente de várias partes do mundo, que graças ao empenho e experiência dos botânicos, convivem de forma harmoniosa. O ex-líbris do Terra Nostra é o tanque termal, em que relaxar é palavra de ordem.

Textos, Edição e Revisão: Cofina Media, S.A | Imagens: Cofina Media, GettyImages e iStock Photos