volvercuriosidades e lazer

Cinco regras obrigatórias antes de comprar online

Partilhar no:

facebooktwittergooglepluslinkedinmail

Há mais pessoas a fazer compras através da Internet. Mas também há mais queixas registadas. Antes de qualquer compra, saiba quais são os passos fundamentais para ser bem-sucedido.

O momento é de viragem para o comércio eletrónico e a tendência aponta para o número de compradores online continuar a aumentar – neste momento, mais de um terço dos portugueses (36%) faz compras online.

Há mais pessoas a escolher fazer as compras através da Internet, é um facto. O número de reclamações registadas também aumentou. Em Portugal, em média, são feitas 23 queixas por dia. Em 2017, o Portal da Queixa registou mais de 8 mil reclamações referentes ao comércio eletrónico. Um aumento de 136% face ao ano anterior.

Cuidados nunca são poucos

Se és dos que faz compras online regularmente ou dos que ainda não te aventuraste, mas gostava de vir a fazê-lo, estas são as cinco regras que não deve passar à frente em todo o processo:

  1. Analisar, pesquisar e ler comentários

Antes de avaliar se o vendedor é realmente confiável, é necessário ter em conta outros aspetos importantes. Alguns conselhos:

  • Não cliques em emails desconhecidos com promoções imperdíveis;
  • Se o website apresentar uma mensagem a informar que a ligação não é segura – sem certificado de segurança reconhecido (SLL) –, sai;
  • Verifica se a loja virtual utiliza https na barra de endereço com o link.
  • Prefere navegar em modo “incógnito”, através de uma janela privada, que impede que o browser recolha dados referentes ao histórico de navegação e ao rasto deixado nos sites que visita em modo “normal” – normalmente designados por cookies. Além disso, a navegação anónima garante que nenhum dado referente a formas de pagamento vai ser guardado.
  • Mantem o navegador atualizado.

Com tudo isto garantido, está na hora de iniciar a pesquisa. Compara sites concorrentes, analisa a veracidade do vendedor – morada, presença nos media, termos de serviço – e não compres nada sem antes ler os comentários deixados por outros compradores. Se não encontras reviews, se a presença nas redes sociais não está atualizada e se não há comentários de anteriores compradores, desiste e passe para outro.

Se obedece a todas as categorias, faz uma pesquisa rápida no Google para analisar se há queixas relevantes deixadas por outros utilizadores. Os comentários nas páginas de Facebook, embora possam ser facilmente manipulados, podem dar uma ideia da opinião dos compradores.

 

  1. Preparar para qualquer eventualidade

O preço até pode ser bastante apelativo mas tem a certeza  que não vais precisar de devolver o produto. Mas sê realista. Qualquer peça pode vir com defeito, em todas as áreas de comércio. Desde a roupa às tecnologias, passando pelos livros, jogos ou CD/vinis/DVD. Antes de qualquer compra, lê a política de devoluções do site. Se não encontrares este tipo de informações, o melhor é procurar outra opção. Verifica prazos de troca e de garantia, direitos de reembolso, custos de devolução e portes associados à mesma.

 

  1. Confirmar o valor total da encomenda

Preço do produto + valor dos portes + possíveis taxas. Normalmente, o preço apresentado na pesquisa não corresponde ao valor final a pagar. Há casos em que o valor dos portes ultrapassa em larga margem o valor do produto. Noutros, os portes são grátis e não há nada a acrescentar. Verifica sempre e tem o cuidado de colocar o país onde pretende receber a encomenda antes de efetuar o cálculo dos portes. Depois há duas coisas a ter em conta:

  • Se a compra é feita através de um site ou vendedor que faz o envio através de um país da União Europeia, o trânsito da encomenda é livre, o que significa que não vai parar na alfândega nem ser sujeito a taxas;
  • Mas se a encomenda vem de um país fora da União Europeia, o caso é mais complicado. As encomendas de particular para particular com valores até 45€ e, no caso de empresa-particular, até 150€ estão isentas de qualquer taxa aduaneira. No que toca ao IVA, até 22€ (encomenda + portes) estão isentas.

Nas compras acima desses valores, a encomenda pode ser sujeita a análise da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), que depois decide o que tem a pagar. Nestes casos, conta com o pagamento do IVA, as taxas administrativas da alfândega e ainda a taxa de apresentação à alfândega, decorrente do processo de desalfandegamento.

Mesmo que as encomendas respeitem os limites, as autoridades podem pedir comprovativos de pagamento para certificar que está tudo dentro dos parâmetros legais. Atenção! No caso das encomendas que declarem um valor inferior ao valor dos documentos entregues pelo destinatário, o que conta é o valor dos documentos.

Há determinados artigos que estão sujeitos a taxas adicionais de direitos aduaneiros. Consulte a listagem de taxas de direitos aduaneiros e IVA, aqui.

  1. Verificar a segurança dos pagamentos

São rápidos, cómodos e fáceis, mas comportam riscos. Os pagamentos online permitem fazer compras em qualquer parte do mundo, à distância de um clique, mas também são uma forma de colocar informação sensível nas mãos de terceiros. Ao pagar com o cartão de crédito ou débito, precisas apenas do número, data de validade e código de segurança.

Recorda as vantagens do Seguro de proteção de compras do teu cartão WiZink aqui. [https://www.wizink.pt/seguros/seguro-protecao-compras.html]

Mas se não queres que os dados do cartão cheguem à loja online, há alternativas:

  • Paypal – o sistema de pagamento eletrónico que permite associar o cartão de crédito ou débito, ou fazer uma transferência para a conta, e criar cartões virtuais com um plafond determinado e validade reduzida;
  • MBWay e MBNet – um serviço do sistema bancário nacional que oferece a possibilidade de criação de um cartão temporário que é utilizado apenas uma vez;
  • Paysafecard – um cartão pré-pago à venda num ponto de venda Payshop ou loja CTT, com valores disponíveis de 10€, 25€, 50€ ou 100€.
  1. Nunca memorizar a informação bancária

Muitas lojas virtuais sugerem esta opção, mas não facilite. Apesar de a memorização dos dados do cartão de crédito ser bastante prática, este gesto simples pode fazer com que a informação vá parar às mãos erradas.

 

Textos, edição e revisão: Cofina Media, SA.

E tu, és WiZinker?

E tu, és WiZinker?

No GPS Financeiro partilhamos as coordenadas para as melhores decisões financeiras, para tirares o melhor partido da utilização do teu cartão de crédito e desfrutares o mais possível.

Segue-nos em

Facebook YouTube