volverponto de vista

Viagem Alternativa pela Europa

Partilhar no:

facebooktwittergooglepluslinkedinmail

Da Grécia ao País de Gales. De Espanha à Ucrânia. Visitar vários pontos do continente é conhecer culturas e tradições diferentes. Uma experiência que pode ser feita através de alternativas.

Reservar uma passagem aérea. Marcar o hotel. Apanhar um táxi à saída do aeroporto. Visitar as principais atrações turísticas apontadas no guia. Nem sempre uma viagem tem de seguir estes passos de forma quase automática. Arrisque e parta à descoberta dos países europeus através de outro tipo de experiências. Normalmente mais em conta.

Seja qual for a tua opção, recorde as vantagens do Seguro viagem do teu cartão WiZink aqui.

Para lá chegar

Quando se pensa em viajar, o primeiro instinto remete para um avião com vista ao local de destino. Uma forma cada vez mais popular, não fosse o crescente de companhias low-cost que prometem ligações rápidas e mais baratas. Mas nem sempre tão emocionantes como, por exemplo, um InterRail.

Liberdade e flexibilidade são as características que se destacam nesta opção de viagem. O roteiro pode ser desenhado de acordo com os gostos e preferências, e o tempo que se gasta em cada local fica ao critério de cada um. Para poupar tempo, muitos optam por comboios noturnos para deslocações mais longas.

Já ouviste falar dos hop-on hop-off? Há algum tempo que são uma aposta nas grandes cidades. Agora existem à escala europeia, com uma rede de autocarros que liga várias cidades e que permite viajar durante um período de tempo nas rotas estabelecidas. É uma das opções mais baratas para distâncias curtas. Outra das vantagens é o facto de ter associado acomodação (não obrigatória) em hostels ou acampamentos resort. Uma forma de tornar a experiência mais segura e simples, já que o autocarro funciona como um serviço porta a porta.

Então, comboio, autocarro ou avião? Se estás com dúvidas sobre qual a melhor escolha, o GoEuro pode dar uma ajuda. A plataforma indica as opções mais económicas para cada trajeto. Basta colocar o destino de partida e de chegada.

Dica 1: sempre que possível, viaja leve. Menos bagagem permite mais mobilidade, independência e, por vezes, significa gastar menos dinheiro. O mais comum é mesmo chegar ao fim da viagem, olhar para a mala e pensar “muita coisa que trouxe podia ter ficado em casa”.

 

Onde ficar

De um lado, alguns dos monumentos mais icónicos à face da terra. Do outro, os hotéis caros, as atrações com entrada paga e os restaurantes a preços exorbitantes. Viajar pela Europa pode parecer pouco acessível, mas há formas de tornar a experiência menos custosa.

Viagens em caravana ou de tenda às costas não colocam grandes entraves na altura de dormir. Paragem num parque de campismo ou condução noturna podem ser opções para os mais aventureiros.

Mas nem todos se sentem seguros com esta escolha mais arrojada. Para estes, há outras opções em conta e menos ousadas. Tal como no resto do mundo, também na Europa os hostels são das melhores formas de hospedagem alternativa. Normalmente mais barata e com variada oferta disponível. Não é difícil encontrar boa relação preço-qualidade em qualquer cidade europeia. Outra das vantagens para quem procura poupar dinheiro é a possibilidade de usar as cozinhas coletivas dos hostels para as refeições. Dê uma vista de olhos aos melhores hostels do ano. Quem sabe não escolhe já o próximo destino.

Alugar um quarto através do Airbnb é, normalmente, mais barato do que o aluguer de um espaço inteiro. Se a viagem for em grupo, às vezes compensa mesmo o aluguer de uma casa por tempo reduzido.

Para os mais corajosos, o Couchsurfing, comunidade que permite aos viajantes serem acolhidos por moradores locais, pode ser uma boa alternativa, e gratuita. Uma forma de ser menos turista e mais viajante e de conhecer a verdadeira cultura e tradição do local visitado.

Dica 2: usar uma aplicação de telemóvel para controlar os custos ao longo da viagem pode ser também uma forma de poupar dinheiro.

 

Explorar o destino

A pé ou de bicicleta. Qual escolhes? As visitas guiadas gratuitas (free walking tours) existem por toda a Europa e são uma forma mais fácil e barata de conhecer tanto as cidades como outros viajantes. O valor da gorjeta ao guia fica à vontade de cada um.

Para viagens durante a primavera e o verão, as deslocações podem ser feitas de bicicleta. A maior parte das cidades europeias oferece boas condições para passeios deste género. É também uma forma de percorrer tranquilamente a cidade, pelas ruas e avenidas menos conhecidas.

Dica 3: na hora de almoçar ou jantar, tente fugir dos restaurantes próximos a atrações turísticas. Além de serem, habitualmente, mais caros, a movimentação de pessoas é maior, o que significa mais tempo de espera. Pesquisa previamente restaurantes de gastronomia local ou peça sugestões no sítio de hospedagem, num quiosque ou numa loja tradicional.

 

Destinos europeus alternativos

Estes são alguns dos locais que, este ano, fazem parte da lista do melhor da Europa pelo Europe Best Destinations:

  • Stavanger, Noruega
  • San Sebastian, Espanha
  • Montreux, Suíça
  • Krk e Stari Grad, Croácia
  • Le Havre, França
  • Plovdiv, Bulgária

 

 

E tu, és WiZinker?

E tu, és WiZinker?

No GPS Financeiro partilhamos as coordenadas para as melhores decisões financeiras, para tirares o melhor partido da utilização do teu cartão de crédito e desfrutares o mais possível.

Segue-nos em

Facebook YouTube